TCI. PRIMEIRA AULA

A importância da mediação extrajudicial.

A mediação extrajudicial é alternativa mais fácil prática e econômica que duas ou mais partes, dispõem para resolver seus conflitos, pendências e disputas. Ela permite que as pessoas se reconciliem e resolvam suas disputas e pendências, seguindo um conselho do próprio Jesus Cristo o Mestre dos mestres,  que ensinou assim:

 

'Reconcilia-te depressa com o teu adversário, antes de chegar no tribunal, para que não aconteça que o adversário de entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali, enquanto não pagares o último ceitil.'

(Mateus 5:25-26)

 

Na mediação extrajudicial, são as partes, que estudam os meios, auxiliados por um mediador, neutro, imparcial e idôneo, que está presente na audiência conciliatória, ajudando a apaziguar o ambiente, para evitar ataques inúteis, e observando qual o melhor caminho para chegar a uma solução e acordo entre as partes. 

 

É imprescindível, que ambas as parte e principalmente o demandado, que assinou o termo de consentimento, depois do seu  demandante ter procurado a Câmara para resolver o conflito,  tenha absoluta confiança que o mediador está agindo de forma neutro e imparcial visando encontrar o melhor caminho para ambas as partes cheguem a um acordo.

 

O  Agente Autorizado IMAC:

Falamos em tom ilustrativo, e com senso de humor, que o Agente Autorizado IMAC é um "caçador de encrencas" igualmente o bombeiro também procura o incêndio, mas, com a intenção de extingui-lo.

 

E da mesma maneira que o bombeiro procura o fogo, com a intenção de jogar água sobre as chamas. O  Agenciador IMAC procura saber onde estão os conflitos em uma comunidade ou negócio,  para apresentar as facilidades de resolução que sua empresa oferece para solucioná-los, de uma forma rápida, econômica e definitiva.

 

Geralmente, quando se anuncia as facilidades da alternativa arbitral, diante da morosidade, burocracia e os contratempos da justiça governamental, que sempre está  abarrotada de crimes mais graves para resolvê-los, a alternativa da mediação particular, gerenciada por uma Câmara que é autorizada para prestar estes tipos de serviços, com pessoas competentes e treinadas, para gerar bons resultados, as partes litigantes, que desejam resolver suas causas, de uma maneira mais rápida, aceitam a proposta assinando os termos de responsabilidades, e concordando com os valores, que serão cobrados pelos serviços que serão para dissolução do conflito.

 

 A partir deste ponto é marcada uma audiência conciliatória entre os litigantes e suas testemunhas, com a participação de um Mediador IMAC para que seja encontrado uma via de acordo para que o conflito seja dissolvido. Geralmente, na maioria dos casos que são resolvidos,  os acordos são efetuados no primeiro encontro, entre 40 à 90 minutos de audiência conciliatória, mas, se houver necessidade e as partes pedirem mais tempo para pensar, avaliar e tomar a decisão, se pode marcar uma segunda ou mais audiências, até que seja tomada a decisão final e o acordo seja firmado.